GeralInformação

COMEMORAÇÃO DA FUNDAÇÃO DA CASA DOS 24 – MOSTEIRO DA BATALHA 15 DE DEZEMBRO DE 2018

18/12/2018 Por

 

COMEMORAÇÃO DA FUNDAÇÃO DA CASA DOS 24

MOSTEIRO DA BATALHA 15 DE DEZEMBRO DE 2018

Ao levar a efeito esta comemoração singela a AATAE e o SATAE pretendeu recordar uma data importante na história das profissões e um passo decisivo para a organização associativa de diversas classes profissionais preponderantes, por iniciativa do Mestre de Avis em 16 de Dezembro de 1883.

E, ao mesmo tempo, partilhar com outros colegas, que não apenas os membros dos corpos gerentes, a satisfação de se ter cumprido, num ano difícil para a classe, alguns grandes objectivos, com base na acção conjunta das duas organizações representativas da classe, a AATAE e o SATAE.

Foi o culminar de um ano de trabalho que abre boas perspectivas para o futuro de acção conjunta por objectivos abrangentes da dignificação profissional quer na actividade independente, quer na melhoria dos enquadramentos e carreiras profissionais na função publica e no sector privado da construção civil, apoiado no enriquecimento da formação académica, no âmbito dos Institutos Politécnicos.

Não nos consideramos os herdeiros únicos dos mestres que fundaram a casa dos 24 mas somos uma classe profissional com uma longa historia com um desempenho muito importante nas diversas áreas da construção civil.

O ano de 1501 é uma data muito importante para a classe profissional dos carpinteiros e pedreiros, agrupados na 7ª bandeira da Casa dos 24, como o ano da criação da associação destes profissionais. Depois de algumas vicissitudes históricas que levaram à interrupção da actividade associativa, foi criada, no reinado de D. Carlos a Associação de Classe dos Construtores Civis e Mestres-de-obras que, 15 anos depois passou a designar-se Associação de Classe dos Mestres de Obras da Construção Civil, cuja formação era dada no instituto Industrial de Lisboa.

Esta designação manteve-se até à organização corporativa do regime salazarista que obrigou à transformação desta e outras associações em Sindicatos Nacionais, surgindo assim o Sindicato Nacional dos Construtores Civis, herdeiro do património daquela associação, que entre muitas outras acções participou activamente na criação do celebre Decreto 73/73 e na definição das competências profissionais ali plasmadas.

Em 1984, por decisão dos associados do Sindicato Nacional dos Construtores Civis, foi criado o Sindicato dos Agentes Técnicos de Arquitectura e Engenharia, acompanhando assim alteração da designação profissional.

Por iniciativa da direcção e outros membros do SATAE foi criada a AATAE em maio de 1990, na perspectiva desta associação vir a desenvolver outras actividades abrangentes em prol da classe da classe profissional dos ATAEs.

Depois de alguns anos em que não foi possível uma aproximação produtiva entre a AATAE e o SATAE, podemos também comemorar aqui e agora, um ano de trabalho profícuo sustentado numa aliança de princípios entre as duas organizações, com o único objectivo de fortalecer a classe profissional que representam e honrar todos aqueles que ao longo da história mantiveram viva a chama dos construtores de monumentos como o Mosteiro da Batalha.

Nestas circunstâncias não podemos deixar de lembrar e relevar o grande Mestre Afonso Domingues que temos como símbolo da nossa classe, na sua qualidade de projectista e construtor, e que também enfrentou incompreensões sobre as suas competências profissionais das autoridades da época.

A este propósito é bom lembrar que, embora sem ter iniciado a sua actividade, foi criada por iniciativa de ATAEs, a Associação Mestre Afonso Domingues, esperando que a partir de agora se encontrem as condições para que esta associação desenvolva a actividade para que foi criada.

Honremos os nossos mestres!

Convidados presentes:

Vereadora e representante da C. M. Batalha – Arq.ª Liliana Maria

Presidente da Junta de Freguesia da Batalha – Rosa Abraúl

Subdiretora do ESTGL do Instituto Politécnico de Leiria – Dra. Marisa Dinis

Coordenador do Departamento de Engenharia do Instituto Politécnico de Leiria – Eng. Ricardo Gomes